15/12/2017 16:22 - Atualizado em 15/12/2017 16:22

Promessa ainda não cumprida por Mario Esteves coloca em risco a vida dos moradores da Roseira

Defesa Civil interditou a ponte, que esta sob risco de cair  

 Júlio César de Araújo

 

Barra do Piraí - A equipe da Defesa Civil interditou novamente a ponte que dá acesso ao bairro da Roseira na última sexta-feira, 1º de dezembro, visando risco de desabamento e assim colocando em risco a vida dos que ali transitam. A estrutura foi interditada emergencialmente para a passagem de veículos no inicio do ano, quando apresentou desnivelamento acima do permitido tecnicamente; entretanto, desde 2011 a passagem já vinha apresentando algumas rachaduras e a queda de fragmentos.

  No dia 20 de fevereiro, moradores do bairro Roseira realizaram protesto por melhorias. O centro da questão passa pela ponte que liga a RJ-145 àquele bairro e estaria comprometida, afetando a logística dos que ali vivem. Salienta-se que o problema já se arrasta há algum tempo; anteriormente, em abril de 2016, moradores apresentaram queixas de que o concreto daquela passagem estaria se arrastando conforme carros e pedestres passavam por ali, provocando a interdição da ponte na época.

  A então titular da pasta de Obras, Maria Ilma de Andrade Silva, chegou a encaminhar, com sua equipe, um estudo para elaboração de uma nova ligação entre a estrada e o bairro. Uma travessia provisória também chegou a ser cogitada, e esta ficaria sob responsabilidade do Exército Brasileiro.

  O prefeito barrense, Mario Esteves (PRB) prometeu na época aos moradores que em 15 dias apresentaria um projeto e começaria a obra da “nova” ponte, mas até então o projeto não saiu do papel e, com isso, sofrem os moradores daquela localidade. “Já tivemos caso de óbito aqui no bairro porque a socorro não conseguiu entrar, até quando vamos sofrer com isso, em período de eleição todos aparecem aqui e depois que são eleitos, esquecem o bairro” indignado, comentou Joel, morador do bairro.

  Em julho deste ano, moradores realizaram uma nova manifestação bloqueando o trânsito na RJ145 e, por conta própria, liberaram o acesso ao bairro.
O promotor de Justiça Marcos Davidovisch constatou o evidente risco de desabamento da ponte e realizou uma nova interdição, solicitando ainda que a prefeitura viabilizasse um acesso alternativo passando pelo distrito de Santanésia, na cidade de Piraí, o que causou transtorno para os populares.

  O trajeto alternativo existe, mas por conta das chuvas, ele fica praticamente intransitável para veículos de pequeno porte. Um Termo de Ajuste de Conduta (TAC) vai permitir que, após a liberação do Instituto Estadual do Ambiente (Inea) a ponte seja reconstruída em até quatro meses. Dentro do prazo original, o órgão tem até este mês para deferir ou não o pedido.

No inicio do ano, em nota a comunicação da prefeitura emitiu uma nota dizendo que, o “prefeito Mario Esteves reitera o seu compromisso em garantir o acesso ao bairro, mas lembra também de que é preciso fazer tudo dentro que do determinam as leis vigentes”; porém, até agora tudo não passou de uma promessa ainda não cumprida. A equipe de reportagem do Jornal O BARRENSE entrou em contato com a secretária de Comunicação da prefeitura para cobrar uma resposta.

  Em nota, a prefeitura disse que o projeto da nova Ponte da Roseira está pronto e conta com mão dupla e passarela para pedestres. No dia 7 de novembro, o secretário de Obras, Wlader Dantas Pereira, esteve pessoalmente na sede do Inea, para tirar dúvidas quanto à execução da obra, já antecipando qualquer impedimento que o órgão poderia fazer. Na ocasião, a entidade apresentou a exigência de um projeto de demolição da via, prevendo como será o transporte e onde serão descartados os restos da ponte antiga. Está em fase final de conclusão esse projeto de demolição, exigido pelo instituto. A partir disso, a secretaria de Obras dará entrada solicitando a liberação da demolição e a construção da nova Ponte.

  Ainda conforme comunicado emitido pela secretaria de Comunicação, a prefeitura de Barra do Piraí está empenhada em reduzir todos os transtornos que poderão afetar o bom andamento da execução para implantar a nova ponte. “A Light já está ciente da remoção da rede elétrica, o processo para contratação da empresa que irá fazer o estaqueamento já está na Secretaria de Planejamento e já fizemos contatos com empresas que prestam serviços de guindastes, que serão usados para retirar a ponte existente e instalar a nova ponte”, finaliza.

Ouvindo RBP AM
Fechar (x)