16/11/2017 16:17 - Atualizado em 16/11/2017 16:17

Funcionários da Cruz Vermelha se manifestam a favor de intervenção

Protesto vem da iminência de retorno da antiga diretoria

Barra do Piraí - Nesta quinta-feira, funcionários da Cruz Vermelha de Barra do Piraí manifestaram-se a favor do processo de intervenção que o hospital está passando há cinco meses, em detrimento do retorno da antiga diretoria, suspeita de apropriação indébita e estelionato, entre outras acusações. A equipe protestou em passeata, de maneira ordeira e pacífica, desde a sede da unidade hospitalar até a prefeitura de Barra do Piraí, em que houve reunião com o prefeito Mario Esteves. Segundo informação apurada pela equipe de reportagem do Grupo RBP de Comunicação, o movimento teve apoio não só da população barrense, mas também da prefeitura, que pode até mesmo intervir no nosocômio barrense.

  O retorno tem força de liminar, dada pelo desembargador Maurício Caldas Lopes, da 18ª Câmara Cível do Tribunal de Justiça do Estado do Rio de Janeiro. Segundo o interventor da Cruz Vermelha barrense, o advogado Félix Eduardo Kronig, a iniciativa da antiga diretoria trata-se de uma mudança “criminosa”, que envolveria até mesmo uma troca de razão social.

   “A determinação de registrar uma ata no Cartório de Pessoa Jurídica, transformando os 86 anos do Hospital da Cruz Vermelha de Barra do Piraí, que tem a força de decreto presidencial, em Associação Claudino Dias, com mesmo CNPJ, sede e patrimônio”, narra Félix. Ele destaca que, desde o primeiro momento, funcionários manifestaram-se em prol da manutenção do processo de intervenção, promovendo assim o protesto pacífico nas ruas de Barra do Piraí, contando com o apoio da Guarda Municipal do município.

  “É importante salientar que o prefeito deu total apoio à manifestação que se apresentou nesta data eu seu gabinete, aproveitando para tranquilizar que, em nome da ordem pública, saúde e bom atendimento, sendo necessário, a prefeitura irá intervir na Cruz Vermelha”, destaca ele. Este apoio, segue o interventor, se dá também por meio de abaixo-assinado, que será apresentado ao Ministério Público, à Câmara de Vereadores, à Justiça, a Procuradoria da prefeitura de Barra do Piraí e a quem mais for de direito.

  A equipe de reportagem do Grupo RBP de Comunicação acompanha o caso, e destaca que o espaço está aberto para que a versão da diretoria anterior, capitaneada por José Luiz Parrini, seja ouvida.

Ouvindo RBP AM
Fechar (x)