09/01/2018 15:22 - Atualizado em 09/01/2018 15:22

“Em 2018 eu vou...”

A cultura das resoluções de fim de ano; autoanálise é a chave do cumprimento de metas, diz psicóloga

Barra do Piraí – “Adeus ano velho, feliz Ano Novo, que tudo se realize, no ano que vai nascer...” No início do ano, com a esperança de realizações e renovações, como dito nesta tradicional música de Ano Novo, as pessoas comumente projetam e estabelecem metas, ou resoluções, a serem seguidas ao longo deste, visando mudanças em algum aspecto de suas vidas, sejam elas pessoais ou profissionais; entretanto, nem todos acabam, por seguir as propostas, frustrando-se tão logo passem os dias ou meses.  Para a psicóloga Nathália Reis, estas resoluções de Ano Novo vêm da cultura de celebrar a chegada de um novo ano, criando metas e expectativas.

  Ela acredita que este estabelecimento de metas pode chegar a uma “pressão”, também em virtude do momento. “Desta forma, também pode-se criar metas e expectativas bem sucedidas ou não atingidas durante o ano que se passou, onde, para algumas pessoas, é criada uma frustração, assim como são projetadas para o próximo ano metas e expectativas, como "vou emagrecer" ou "arrumar um outro emprego"”, explica.

  Entretanto, ela diz que é necessário que haja uma reflexão do porquê de se estabelecer uma mudança para o próximo ano. “É alguma cobrança pessoal ou algo vindo do meio social? “A mudança é  importante para meu bem estar (físico ou emocional)?  Lembrando que a auto cobrança é positiva para que sirva de motivação; contudo, quando é algo sufocante, pode gerar ansiedade, pensamentos depressivos, entre outros”, complementa.

  Para compreensão desta projeção, Nathália Reis ressalva que é preciso que aquele que pretende aplicar tais mudanças passe por um processo de autoanálise, com a finalidade de criar consciência para suas necessidades e desejos, além de buscar metas e planos possíveis (física ou emocionalmente, ela frisa) organizados a longo, médio e curto prazo, para facilitar a execução.

  “Por exemplo: não adianta querer emagrecer (saudavelmente) 20kg em um mês. E por último, a execução das atividades em prol da sua meta, ou seja, troca de hábitos e comportamentos. Caso sozinho o indivíduo tenha dificuldades neste processo de análise, é aconselhável buscar o profissional especialista em comportamento: o psicólogo”, indica. 

 

As 10 resoluções de ano novo mais populares e como torná-las realidade

 

  1. Perder peso

Esta é, sem dúvida, uma das resoluções de ano novo mais populares e também a maior promessa não mantida por muitos. Não adianta desejar perder peso e depois começar o ano a exagerar na alimentação. Tenha em mente que emagrecer requer paciência e persistência. Consulte um nutricionista, faça todos os exames solicitados para saber se o facto de estar acima do peso não está relacionado com algum problema de saúde, siga a dieta prescrita e pratique exercício físico regularmente. A longo prazo, para além de perder peso, terá ganho em saúde e bem-estar.

 

  1. Deixar de fumar

Para a maioria dos fumantes, deixar de fumar é simultaneamente um desejo e uma grande dificuldade. Devido à dependência, o fumador deve planejar a melhor forma de deixar o tabaco, respeitando sempre as suas próprias limitações para deixar de fumar, seja gradualmente, de uma só vez ou recorrendo a tratamentos, que devem ser realizados com acompanhamento médico para garantir o sucesso.

 

  1. Conseguir ou mudar de emprego

Se o grande objetivo para o novo ano é conseguir um emprego ou então mudar de empresa ou de ramo, pense em todo o processo de forma antecipada: prepare um bom currículo, mostrando todo o seu potencial profissional; pesquise sobre a empresa na qual deseja trabalhar; invista na sua imagem e marketing pessoal. Mesmo depois de algumas respostas negativas em entrevistas de emprego, não desanime e seja persistente – o seu emprego de sonho pode estar na sua próxima entrevista!

 

  1. Organizar-se financeiramente

Ter um bom plano financeiro é primordial para se obter a grande maioria das coisas que ansiamos na vida (casa, carro, formação, viajar, fundo de emergência, etc.). Se a sua vida financeira já viu melhores dias, mais cedo ou mais tarde isso irá interferir nos seus planos a curto-médio prazo.​ Para garantir a sua estabilidade e sucesso financeiro, comece por analisar quais os gastos que são realmente necessários e elimine os supérfluos. Use o cartão de crédito apenas para emergências e, se possível, faça investimentos (poupança, ações, imóveis, tesouro direto, etc.) – com o tempo isso vai trazer-lhe tranquilidade financeira. No que toca a dinheiro, não seja imediatista: dependendo das despesas e do endividamento, este objetivo pode levar anos a ser alcançado. O importante é não desistir e exercitar o controle financeiro mês após mês, só assim é que alcançará a organização desejada.

 

  1. Aprender uma coisa nova

Tocar um instrumento musical, aprender um novo idioma ou a cozinhar são apenas algumas das muitas coisas que as pessoas costumam definir enquanto resolução para o novo ano. Tenha em mente que aprender uma coisa nova é muito bom, mas que também pode trazer as suas dificuldades e levar a uma desistência precoce. Como contornar a situação? Se tiver um amigo que partilha os mesmos objetivos, junte-se a ele e assim um estimulará o outro frente aos desafios e ao desânimo que podem surgir durante o processo de aprendizagem.

 

  1. Ler mais

Esta atividade, que exige também paz e tranquilidade, é outra resolução com uma alta taxa de abandono. Seja para fins profissionais ou por “hobby”, para manter-se fiel a uma leitura é preciso ter tempo de qualidade (nada de ler quando estiver com sono ou cansado), um local bem iluminado e, preferencialmente, silencioso. O principal: leia sempre algo que lhe agrade, isso ajudará a mantê-lo motivado para ler continuamente.

 

  1. Apaixonar-se

De longe a meta mais subjetiva de todas, mas também uma necessidade inegável, que é a vontade de partilhar a vida com alguém. Para que a sua paixão chegue e não se torne um problema no ano novo, é preciso ter um pouco de razão junto do coração. Nada de amores cinematográficos, com disparos de coração à primeira vista. É claro que isso pode acontecer, mas não é a regra, é a exceção. A paixão vem quando menos se espera, por isso, evite “forçar” paixões. Permita-se sair, conhecer pessoas novas ou porque não dar uma oportunidade àquele amigo do amigo que está sempre a perguntar por si… quem sabe não nasce aí uma grande paixão?

 

  1. Passar mais tempo com a família

Trabalho, faculdade, cursos, ginásio, viagens de negócios, etc. O mundo moderno imputa cada vez mais obrigações às pessoas, consumindo quase todo o tempo livre, e dedicar-se à família transforma-se, muitas vezes, num verdadeiro desafio. Caso esse seja o seu desejo para o novo ano, comprometa-se a eliminar atividades extras, a não trabalhar até mais tarde nem que seja por um dia na semana ou programe sair com a família pelo menos uma vez por mês. São pequenas atitudes que lhe podem deixar mais perto de quem ama e melhorar exponencialmente os laços afetivos entre todos.

 

  1. Ajudar os outros

Altruísmo, além de ser uma atitude nobre, é bem raro nos dias atuais, porém, existem muitas pessoas que sentem prazer e realização em ajudar o próximo. Para que esta resolução seja concretizada, comece por decidir de que forma quer ajudar: através do ensino, voluntariado, cuidando de idosos, desenvolvendo projetos sociais numa ONG ou, quem sabe, criar a sua própria associação de apoio social. Depois de definida a sua meta, faça um plano com o tempo que poderá contribuir para a sua causa. Mesmo que não se torne voluntário numa instituição, existem muitas formas de ajudar alguém todos os dias!

 

  1. Ser feliz

Eis uma das coisas mais relativas da vida: enquanto para alguns ser feliz está em alcançar tudo o que for possível, para outros são as coisas pequenas e simples da vida que os satisfazem. Independentemente do que cada um idealiza como ser feliz, isso será sempre um processo de tentativa e erro, já que não há uma fórmula correta para a felicidade. O ponto crucial aqui é ousar, claro que levando em consideração os riscos envolvidos, mas só desta forma, seja em qualquer área da vida, é que será possível alcançar o ideal de felicidade, o seu ideal.

 

Fonte: Estado Zen

Ouvindo RBP AM
Fechar (x)